sábado, 20 de julho de 2013

Revivendo antigos sonhos - Martha Vieira Tavares Pezzini



                    

                                               




                           Revivendo antigos sonhos

Zezé Goulart uma amiga de vida inteira, pessoa encantadora com uma vida muito bem vivida repleta de realizações. Estivemos juntas um dia desses, recordando fatos das nossas infâncias, um pouco desencontrados nos anos. Minhas lembranças são da fase em que ela já era mocinha.
As recordações são de fatos simples de uma vida que era tão pobre materialmente  mas de uma riqueza inesgotável de encantamentos e vivências. 
Ela contou que na minha casa havia um pilão. Para quem não faz idéia, pilão era uma peça inteiriça de madeira na qual se escavava um buraco para conter os grãos. Para pilar, que se dizia “socar”, havia uma outra peça, chamada mão de pilão, nada leve e que era levantada e abaixada, manualmente, para esfacelar os grãos, geralmente de café. Era uma operação cansativa. Não fiquem chocados com essa descrição que lembra um artefato de tortura...
As crianças do nosso tempo criavam seus  brinquedos a partir do que havia em volta e para uma menina que gostava de música a criatividade veio à tona em forma de piano.  Com cascas de mandioca ela recortou e colocou as  teclas transformando o feio e rústico pilão em um piano. E enquanto dedilhava, de mentirinha, seu instrumento devia ouvir os sons saindo de um lindo e lustroso piano. A menininha que tocava estava bem vestida, com lindos sapatos e muito  feliz e realizada  recebia os aplausos dos ouvintes,
Lindo, não? É a poesia contida naquela dureza de vida, sem brinquedos comprados e sonhos apenas sonhados pois não se tinha idéia se um dia se realizariam.
E muitos daqueles sonhos se realizaram como este da Zezé que mais tarde aprendeu música e toca violino maravilhosamente!

 MVTP


2 comentários:

  1. O bom da vida é sim relembrar esses momentos doces que nunca abandonam nossa mente e coração. De tão doces acabam por tornar-se fortes o suficiente para nos inspirar na busca de momentos igualmente suaves. E como nossa caminhada enche-se de inusitada paz ! Lindo,lindo !

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Regina por ter lido e entendido!

    Beijo

    ResponderExcluir